Ética

Ética: Questão de Conveniência ou Base da Liderança

Ética, nunca na história desse país, esse substantivo foi tão usado, como neste século.

Poucos conhecem o significado desse trissílabo proparoxítono!

Faz-se importante, conhecer o que diz o dicionário sobre este verbete: Ética [substantivo feminino] parte da filosofia responsável pela investigação dos princípios que motivam, distorcem, disciplinam ou orientam o comportamento humano, refletindo especialmente o respeito essencial das normas, valores, prescrições e exortações presentes em qualquer realidade social.

Que lindo!

Na Teoria fundamenta-se na Base da Liderança eficaz, eficiente e honesta.

Na Prática flexibiliza-se para a Questão de Conveniência: jogo de interesses, bajulação e lobismo.

É impressionante como é recorrente a quebra de confiança, resultando na falta de caráter, na mentira contumaz, nas falácias de muitas lideranças, principalmente na realidade corporativa.
Tal fato causa cada vez menos apontamento de dedos e introspecção séria e suspensão da prática.

ETs? Não.

Essas lideranças não seres intergalácticos, são humanoides, terráqueos, figuras midiáticas, influencers, CEOs. Analisando por esse ângulo, o que nos impõe não é um padrão de conduta alienígena, inverossímil.

São lideranças que vivem entre nós e, como tal, refletem atitudes e valores que são fácil e preguiçosamente escorregadios, porque não dizer pérfidos.

Vamos punir os ‘malfeitores’! Bradam uns.

São inocentes, vítimas do sistema! Protestam os simpatizantes.

Ruptura. Cisão. Polarização. Conjuntura estéril e que não permite diálogos, apenas discussões tendenciosas, ou a repressão dos contrários.

É a tendência, os colaboradores, ora rotulados de ‘Malfeitores’ podem – em última instância – serem punidos, sentenciados.

Alívio para os perseverantes, baseados na Ética. A crença de que o time pode – felizmente – seguir em frente confiante de que o problema foi resolvido e que o mal não os afetará mais.

Obviamente, deve existir punição suficiente, corretiva e pedagógica, para que todos façamos uma pausa, quando o pensamento necrosado, inóspito e corrupto de ceder à conveniência ocupar nossa mente.

Sim, há!

Só que, como disse o poeta Oswaldo Montenegro: “Sempre não é todo dia.”

As Leis Universais, ou a 3ª lei de Newton, conhecida como lei da ação e reação nos ensina que: ao aplicarmos uma força de ação contra um corpo, surge uma força de reação igual ou maior em um corpo diferente.

Você quer ‘resolver’ o problema?

Você deve dotar – não do impulso, mas da certeza de que o olhar deve se voltar para si mesmo, para o seu mundo interno.

Reforçar – no próprio caráter – o que acredita faltar nas lideranças corporativas.

Após, essa introspecção reflexiva, assumir as consequências de nossos atos.

Eu sei que essa questão pode parecer uma deficiência de abordagem, resultando no conhecido ‘tiro que saiu pela culatra’, porque não foi dado tempo suficiente para seguir seu curso e perceber que a abordagem estava errada.

Vale explicitar o fato, parafraseando o Ilmo. Presidente dos EUA, Abraham Lincoln: “Você pode trair a confiança de muitos por muito tempo; de alguns por algum tempo. Nunca de todos todo o tempo.”

Por isso, devemos ter muita cautela com a traição daqueles a quem você serve, aqueles que estão no poder. Mesmo que o seu fim desejável seja um upgrade na carreira, reconhecimento pessoal e/ou profissional, cumprir metas, ampliar os resultados do seu empreendimento.
Algo esperado pelas partes envolvidas, mas que corre o risco de prejudicar todas pessoas e recursos vinculados à sua atitude.

Faço-lhe uma advertência fraterna: Fuja do vício, rotineiro para muitos, conhecido como: ‘jeitinho brasileiro’ na intenção de se Autopromover, pois nunca será a melhor decisão.
Fatalmente tal atitude amadora, aparentemente “inocente” será percebida, causando uma mancha, mácula, ação punitiva, um perfil inaceitável em empresas sérias.

Hoje, estou fazendo muitas menções a pessoas muito especiais na minha história e que se fazem presentes em minhas mentorias.

Lembro o poeta inglês Robert Southey que observou:

“Nunca deixe um homem imaginar que ele pode perseguir um bom fim por meios malignos,
sem pecar contra sua própria alma. O efeito maligno sobre si mesmo é certo.”

Vivemos a Era Digital. Resolvemos quase tudo online.
São tempos delicados, um mundo pouco estável.

Um líder eficiente, eficaz e honesto dependerá mais dos seus recursos internos (conhecimento, habilidades e competências) do que das areias da mudança que mudam com o vento, sempre de acordo com a convenção social iminente.

Portanto, querida Pessoa Líder, se seus recursos internos não forem construídos sobre uma base sólida de Ética e Valores Morais.

Lamento dizer-lhe que você será sempre o Líder Nefasto, com aparência de Salvador, Necessário, Agregador, Ideal, pois contribuirá para a consolidação do problema; não com os atributos genuínos de um líder, que é ser um farol orientador, fornecendo a direção de que todo o time, a população tanto precisa, para evoluir e obter os resultados positivos, saudáveis que merecem.

Certamente, a razão subjacente para todas as negociações é: obter um lucro.
Entretanto, se não pode ser obtido honestamente, então não pode ser feito. Simples assim!

Hora de arregaçar as mangas e encontrar novos caminhos, novas estratégias viáveis para a Gestão dos conflitos, dos projetos, do desenvolvimento de cada colaborador.

Eu sei que, pode parecer sedutora a conveniência, por promover os ganhos de curto prazo. Curto prazo!

Já, a edificação do sucesso a longo prazo, só pode ser resultante do compromisso de: fazer o que é certo, mesmo quando esse curso de ação, esse processo, pode não lhe parecer interessante a curto prazo.
Ele será consistente, seguro e deixará um legado positivo para todos os envolvidos.

Finalizo com outra menção, ao oceanógrafo da Marinha dos EUA, do século XIX, Matthew Fontaine Maury exortou com razão, algo que ‘muitos brasileiros’ necessitam ler, escutar até tornar-se verdade absoluta:

“Onde o princípio está envolvido, seja surdo à conveniência”.

Querida Pessoa líder, esteja muito atenta para o fato de que o não exame dessas questões em nossas próprias vidas criará, elegerá, legitimará agrupamentos de líderes destinados à liderança com o mesmo compromisso nocivo.

Se você gostou deste artigo, comente e compartilhe.

Conhecimento é poder e merece ser
transmitido para o maior número de pessoas.

Não à Censura

Cale-se ou Tempo Perdido

Esta poesia de Renato Russo, data do ano de 1986, ele era um leitor contumaz e a inspiração para essa canção vem de uma de suas leituras de Marcel Proust, em sua obra “Em busca do Tempo Perdido”, lançado em 1913.

Uma das frases célebres dessa obra registrar o momento de epifania que fará o narrador reconstituir sua vida, desde a remota infância até o momento presente, sua maturidade:

“Cessara de me sentir medíocre, contingente, mortal.
De onde me teria vindo aquela poderosa alegria?”
 

A cena é antológica, quando a personagem mergulha um pedaço de bolo, conhecido como Madeleine, numa xícara de chá, e permite-se transportar pela memória.

“Todos os dias quando acordo
Não tenho mais o tempo que passou
Mas tenho muito tempo
Temos todo o tempo do mundo”

É sabido por todos que o passado é permanente, podemos dar novos significados a conteúdos traumáticos, através da psicoterapia, da hipnose, só isso.

Já, o presente é contingente, nele tudo é possibilidade, por “tenho muito tempo / temos todo o tempo do mundo.”

“Todos os dias antes de dormir
Lembro e esqueço como foi o dia
Sempre em frente
Não temos tempo a perder”

Uma prática saudável que sugIro na Mentoria do Autoconhecimentoconstruída e personalizada para cada cliente é, antes de dormir, passar a limpo o dia.

Lembrar o que foi vivido no dia, alinhar os pontos de avanço, os pontos de limitação e apontar o aprendizado do dia, as ações de avanço para o dia seguinte.

Após essa atividade, “sempre em frente / não temos tempo a perder”, afinal o sono é garantia de saúde mental e física, para que despertemos com força para realizar nossos objetivos.

“Nosso suor sagrado
É bem mais belo que esse sangue amargo
E tão sério e selvagem
Selvagem, selvagem”

“Nosso suor sagrado” remete à frase de Thomas Edison: “A genialidade é 1% inspiração e 99% transpiração.”
Uma alusão clara à nossa capacidade de criar, de sermos gênios e perseverantes em nossos objetivos.

“É bem mais belo que esse sangue amargo”, lembrando que a ditadura teve seu fim em 1985, um ano antes da criação dessa obra, numa menção à música Cálice, composta por Chico Buarque e Milton Nascimento.

Os versos: “como beber dessa bebida amarga”, trazia a referência à dificuldade de aceitar um cenário social onde as pessoas eram subjugadas e “caladas-censuradas” de forma selvagem, não se podia expressar ideias, sentimentos e atitudes contrárias ao poder militar.

Um convite ao leitor:

“Veja o sol dessa manhã tão cinza
A tempestade que chega é da cor dos teus olhos
Castanhos”

Ver o sol é ver luz, cores dessa manhã tão cinza, é uma antítese da vida “a tempestade que chega é da cor dos seus olhos / Castanhos”, nos traz a possibilidade individual de ver, de entender a realidade: ver o sol? Ver a manhã cinza?
Tudo está na forma como você vê, encara a vida e seus desafios, tempestades.

“Então me abraça forte
Me diz mais uma vez que já estamos
Distantes de tudo
Temos nosso próprio tempo”

A necessidade de apoio, de união, para acreditar que o tempo cinza da ditadura, já passou. [será que não estamos diante da possibilidade de outra ‘ditadura’?]
Está distante. [Espero, desejo e farei a minha parte para que sim, tenha ficado no século passado.]

Afinal, “temos nosso próprio tempo”, para construir um novo cenário social, individual.

“Não tenho medo do escuro
Mas deixe as luzes acesas agora
O que foi escondido é o que se escondeu
E o que foi prometido, ninguém prometeu”

Ter medo do escuro é uma atitude própria da criança, que – por não ver – preenche a escuridão com seres ameaçadores (nesse caso, volta da ditatura, por exemplo).

Por segurança, “deixe as luzes acesas”, para que eu possa ver. “o que foi escondido é o que se escondeu / e o que foi prometido, ninguém prometeu”.

Os crimes políticos sem solução (na época – muitas vezes sem corpos), as promessas feitas e não cumpridas, mas dissimuladas pelo poder de então.

“Nem foi tempo perdido
Somos tão jovens
Tão jovens, tão jovens”

Não foi Tempo Perdido para todas as pessoas que lutaram pelo final da ditadura militar.

O Brasil, na ocasião era jovem, poderia mobilizar os jovens, para a mudança.
Essa mobilização aconteceu, pois, a maioria da população, de modo apartidário foi às ruas pedindo Diretas Já.

E hoje, 39 anos depois, o Brasil precisa de maturidade, para entender o momento delicado que vive a Democracia.

O poder do voto, a eleição de pessoas, a corrupção descarada, a volta da censura veladamente explícita e conivente.

Não!

Não é inteligente fazer com que a música Cálice (Cale-se) [clique para ouvir e escutar] de Chico Buarque volte a ser o tema, decorando a nossa realidade em 2023.

“A bebida amarga” da mentira, da dissimulação, da corrupção, da irresponsabilidade, da ausência de moral e ética por suas obrigações funcionais e cidadania… Não.

“Pai, afasta de mim esse cálice

Como beber dessa bebida amarga?
Tragar a dor, engolir a labuta?
Mesmo calada a boca, resta o peito
Silêncio na cidade não se escuta
De que me vale ser filho da santa?
Melhor seria ser filho da outra
Outra realidade menos morta
Tanta mentira, tanta força bruta

Pai, afasta de mim esse cálice”

Eu acredito que: Não foi tempo perdido.
Não queremos mais o sacrifício de nos calar.
Mesmo que, censurados e exilados no passado – por conveniência – hoje digam SIM.
Hoje, quem possui sanidade mental, boa memória e valores morais e éticos reais diz: NÃO.

Podemos Não ser mais tão jovens, mas existem JOVENS inteligentes, para que – de modo apartidário – possa compreender as REAIS necessidades do país e apoiar o que é favorável para o Brasil respirar e iniciar uma fase de crescimento sustentável, de fato, “com as luzes acesas”, às claras, com as cartas na mesa.

Compartilhe este artigo musical com pessoas queridas que merece viver melhor O SEU MELHOR TEMPO sem ser vítima do CÁLICE.

Pense. Decida. Vote com a sua consciência, moral e ética!

Mudança

Mudança em 5 fases

Quando o assunto é mudança, muitos de nós sente um frio na espinha e ficam paralisados; outros, respiram fundo e enfrentam.

O fato é que a mudança é geralmente um desafio e que em tempos de mudanças amplas, disruptivas e inevitáveis, gera inquietação.
Não estou falando de você, querida pessoa leitora, nem tão pouco de mim, eu me refiro à maioria de nós.

Este artigo quer refletir sobre como podemos desenvolver a qualidade de sermos bons em mudanças – preferencialmente aquelas que acontecem em nossa vida e vêm vestidas de crise.

A partir de muitos estudos sobre a Psicologia, a Neurociência, entendo que experimentamos de 5 fases, quando nos deparamos com uma mudança que não provocamos, mas que se apresenta diante de nós.

1. O Susto – a Ruptura – Saída da Zona de Conforto.
Diante da notícia, sentirmos medo, pânico é normal, por isso passamos pelo estado de cegueira.
Um estado de espírito que turva nossa mente racional e não conseguimos ver a situação com objetividade e exatidão.
É o momento de profundo desespero, e que nos exige compulsoriamente que saiamos de nossa rotina, do conhecido.
Sentimo-nos totalmente fragilizados, buscamos por soluções imediatas, afinal temos de nos livrar daquela ruptura – o mais rápido possível – porque temos a necessidade de segurança.
E, por desconsiderarmos todas as variáveis, nossas decisões são prejudiciais.

Você pode me perguntar: Mel, por que ficamos aprisionados no modo Susto?

Eu lhe respondo de três maneiras:
A primeira: fomos educados aceitar as perdas e não os ganhos, então o modo pânico representa que a PERDA é mais visível e perceptível; enquanto o ganho não.
Eis a primeira grande batalha interna, combater o sentimento de perda, vislumbrando os possíveis ganhos.

A segunda:
a crença de que ontem foi melhor do que hoje.
Essa crença nos aprisiona no passado e criamos verdades distorcidas que justifique, porque era melhor, com isso nos fechamos para todas as oportunidades que o AGORA nos fornece.

A terceira: estamos onde estamos por mera sorte: “Estou no lugar certo e na hora certa.”
Como pode ser o inverso, somos azarados por estarmos naquele lugar e hora.
Diante desse contexto, devemos parar por alguns minutos, respirar profundamente algumas vezes e nos perguntar:
1. Em outros processos de mudanças: o que eu superei?
2. Quais foram as habilidades que usei e que – ainda – as possuo agora?
3. Quais os conhecimentos que tenho agora e não possuía naquela época?

Com as respostas a essas 3 perguntas, começamos a delinear o caminho para prosseguirmos, controlando o reflexo do susto, nosso medo.

2.  Resiliência = adaptação 
Diante da mudança, nos perguntamos: “O que está acontecendo comigo?”

CUIDADO!!! 
Esse é um pensamento improdutivo e que nos faz vítimas, não temos controle, apenas reagimos.
Somos tomados pelo raciocínio de que a mudança é assustadora e que durará para sempre, sermos mudados – também – por ela de maneira irreversível.
Essa possibilidade da perda de identidade nos apavora, afinal: “Quem somos nós?”

Acontece que não somos o que fazemos.
Somos, porque fazemos, agimos e entendemos os nossos motivos.
Precisamos ampliar nossa perspectiva para nos adaptarmos à mudança enfrentada.

E temos a tendência a nivelar o pensamento dos outros com os nossos, mesmo sabendo que isso que não acontece.
Entenda de uma vez por todas que diante da mudança, precisamos olhar além do previsível, esse é o motivo pelo qual devemos entender que o momento é de consciência e não de dor.

Por exemplo: a mudança é você trabalhar numa nova empresa.
Concentre-se – apenas – no que está realizando agora, qualificando-se para executar as atividades com excelência, manifestando gratidão pela atividade e pela empresa atual.
Isso significa que você está se preparando para a nova empresa, para sua promoção.

Lembre-se de que fazer metas deve funcionar como motivação, não como limitação.
As metas representam uma direção, não é um mapa e não pode definir toda a sua jornada.
Olhe para frente com muito cuidado, para que não perca todas as possibilidades que lhe cercam de aprender e se superar.

3.    Novo Normal = Sobrevivência 
Essa sobrevivência é conhecida por todos nós, brasileiros que enfrentamos a Pandemia e ficamos isolados praticamente 2020.
Quando pudemos sair às ruas, entendemos que estávamos vivendo o NOVO NORMAL, pois estávamos vivos.
O período sobrevivência, ou novo normal é o outro estado temporário na jornada da vida.

Portanto, se quisermos assumir uma mudança, temos de ‘identificar partes de nossas experiências antigas que não mudam e utilizá-las para reformular a nova oportunidade diante de nós.

É normal que algumas circunstâncias nunca mudam e, podem desempenhar um papel fortalecedor e em nossa mudança atual.
A adaptação acontece analisando as circunstâncias como elas são – no aqui-agora – não como elas foram no passado.
Aproveite o momento para se perguntar: “Para que serve isso?”

Evite a tentativa de parar, de controlar a mudança iminente, quando nos perguntamos ‘para que serve isso?
Abre-se diante de nós um leque de oportunidades e dá-nos um novo propósito e maneira de se fazer presente no mundo.
Quando se entra no ciclo de falar sobre o que se gosta: “No meu tempo…” “Na minha época…”

Deve-se fazer a pergunta: Qual é o meu tempo?
Se você começar a perder a paciência com uma conversa, pergunte-se: “Para que serve esta conversa afiada?”

Enfatizo que “tudo é aula.”
As inovações tecnológicas, as atividades atuais, as conversas, tudo pode gerar aprendizado, crescemos muito quando interagimos.

4.    Sem Retorno = O Inexorável 
Fala sério, se lhe contassem de modo profético que o mundo inteiro, sem exagero, iria ficar em confinamento em casa até março de 2020 você diria: “Isso é impossível!”

E vimos o impossível tornar-se real, sem oportunidade de retrocesso.
Vale a pena ressaltar que a verdadeira oportunidade existe no desconhecido, reconsiderar o impossível.
Dê uma olhada crítica em tudo que você descarta, desvaloriza.

Falo de tudo que pensávamos ser impossível, ilógico, difícil demais, radical em excesso, intensamente ridículo para sequer considerarmos e explorarmos se – de fato – elas eram oportunidades o tempo todo.

Querida Pessoa Líder, se você está procurando uma vantagem competitiva, pergunte-se: “É real?”

Considerando que superficialmente pensamos que sabemos tudo, mas na verdade sempre existem outras camadas acontecendo.

O poder das perguntas, viabiliza o detalhar de qualquer diferença fundamental.

Essa técnica aplica-se – também – para a vida pessoal dessa forma:Posso estar insatisfeito[a] com meu trabalho, com minha empresa, essa insatisfação me permite – na verdade – descobrir, porque estou sendo pressionado[a] a identificar melhor o que eu amo e como persegui-lo.” 

5. Dinâmica
Obviamente que nem toda mudança é boa; toda mudança é certa.
E diante dela, temos de nos posicionar para passar pelas 4 fases rapidamente.

Pare de perder tempo, em vez de se definir com firmeza: “Eu sou isso!” “Eu faço aquilo.”

Ocupe-se em reconhecer que: Tudo o que fazemos, assim como tudo o que somos, é simplesmente a próxima coisa de uma longa fila.

Tudo é a próxima coisa, num eterno continuar de sucessos (avanços) e fracassos (aprendizados), portas que se abrem e se fecham.

Aproveite este momento para identificar qual é a mudança diante de você, use o conhecimento adquirido aqui e com suas vivências como facilitadores.

Boa Mudança! 

5Ss da Liderança com Propósito

Os 5Ss da Liderança com propósito

Há algum tempo, li o livro The Heart of Business: Leadership Principles for the Next Era of Capitalism, o ex-CEO da Best Buy, Hubert Joly.

E, hoje quero compartilhar minha leitura com você, querida pessoa líder.

É um livro muito interessante onde ele compartilha a filosofia que alicerça o ressurgimento da Best Buy: buscando um propósito nobre, colocando as pessoas no centro do negócio, criando um ambiente onde cada funcionário pode florescer e tratando o lucro como um resultado, não o objetivo.

Ele compartilha e enfatiza o que aprendeu e o que necessitou desaprender, levando em consideração o tipo de liderança que exercemos.

Aproveita e conclui com os 5 princípios da liderança com propósito que lhe serviram de bússola.

1 Seja claro sobre seu propósito. O propósito das pessoas, dos seus colaboradores ao seu redor e como ele se conecta com o propósito da empresa.
Diz: “Acredito que o negócio é fundamentalmente sobre propósito, pessoas e relacionamentos humanos – não lucro, como prioridade. As empresas são entidades com alma. São organizações humanas construídas por indivíduos, trabalhando juntos por um propósito comum. Quando esse propósito comum se alinha com suas próprias buscas individuais de significado, desencadeia uma espécie de magia humana que resulta em desempenho excepcional. “

2 Seja claro sobre seu papel como líder. Você não pode escolher suas circunstâncias, pode controlar sua mentalidade, que determina se você gera esperança, inspiração e energia ao seu redor – ou derruba todos. Qual é sua escolha?

3 Seja claro sobre a quem você serve. Como líder, você deve servir as pessoas na linha de frente, conduzindo o negócio. Você serve seus colegas. Você serve seu conselho de administração.
Você serve as pessoas ao seu redor primeiro, entendendo o que elas precisam para dar o melhor de si, para que você possa fazer o seu melhor para apoiá-las.
O coach executivo Marshall Goldsmith uma vez me disse para ver todos como clientes. Antes de falar ou agir, seja claro sobre sua motivação e a quem você está tentando servir.

Nesse momento da leitura, descobri que temos o mesmo coach executivo, na verdade Marshall Goldsmith é meu mentor.

4 Seja movido por valores. Na maioria das vezes, todos concordamos com o que é certo: honestidade, respeito, responsabilidade, justiça e compaixão. No papel, toda empresa possui grandes valores. Os valores para serem bons, precisam ser colocados em ação, esse impulso de fazer o certo, não apenas conhecer ou dizer o que é certo. Saber e fazer o que é certo nem sempre é simples, obviamente. Envolve a flexibilidade do líder, se você se recusar a ceder ao “só desta vez” e se lembrar de dizer a verdade e fazer o que é certo, as escolhas se tornarão mais fáceis.

5 Seja autêntico. Nesse ponto da leitura, eu amei quando ele diz ter ouvido que: “a viagem mais longa que você fará são as 18 polegadas [45,72 cm] entre sua cabeça e seu coração.  É realmente uma longa e árdua jornada. Assim como os líderes da minha geração, por muito tempo acreditei que as emoções não deveriam ser compartilhadas em um contexto de negócios. Eu tinha muito a desaprender, e levei uma vida inteira para abraçar o quinto, e para mim de longe o mais difícil, “Seja”: Você mesmo, seu verdadeiro eu, todo o seu eu, a melhor versão de si mesmo.
Seja vulnerável. Seja autêntico.
Isso é algo que a nova geração de líderes parece entender de forma mais intuitiva e natural.”

Fecha a exposição dessa partilha reiterando que: “Nossos funcionários esperam que sejamos humanos e esperam que entendamos quem eles são e os façamos se sentir respeitados, ouvidos, compreendidos e incluídos. Isso significa que temos que nos abrir e nos tornar vulneráveis, inclusive reconhecendo o que não sabemos.” 

Faz sentido essa leitura para você?
Deixe seu comentário.

Líderes Proativos

10 características dos Líderes Proativos

Querida Pessoa Líder, este é um bom momento para você fazer
uma análise profunda sobre sua conduta,
reconhecer qual é o seu lado da moeda é inteligente e aponta para o sucesso. 

É importante salientar que os líderes que desejam causar um impacto duradouro em sua organização [familiar, corporativa] devem se esforçar e desenvolver uma liderança proativa, afastando-se definitivamente da reativa.

E, se você tem dúvida sobre isso, eu lhe explico no detalhe:

Lado 1 da moeda– Líderes reativos:  são aqueles que esperam os problemas surgirem antes de abordá-los, muitas vezes estão pulando de crise em crise, sem tirar lições para melhorar as organizações e os processos em que operam.
Exemplos: buscam culpados; perdem a elegância [gritos, xingamentos], estão sempre certos, são os donos da verdade absoluta. 

Lado 2 da moeda – Líderes proativos: Eles assumem a responsabilidade por suas funções de gestão, engajando e cooperando com sua equipe.
Lideram pelo exemplo e sempre buscando maneiras de melhorar.
Não importa a posição hierárquica, ou seja, ser um gerente de nível médio ou superior; a liderança com visão de futuro é a melhor maneira de gerenciar.

As 10 características, também podemos chamar de atitudes e qualidades valiosas
dos líderes proativos são:

1. Visão de longo prazo.
São capazes de:
a) se afastar dos detalhes do dia a dia e ver o quadro geral;
b) planejar com meses de antecedência e enxergar a trajetória a ser percorrida pela equipe, pela empresa nos próximos anos.

Com essa visão e um plano fortes, de longo prazo, saberão orientar a direção dos projetos de curto prazo.

2. Fonte de Inspiração.
Todos nós sabemos que existem diversas razões pelas quais os profissionais realizam bem seus trabalhos: incentivos salariais, responsabilidade, a satisfação de um trabalho com excelência.

Líderes inspiradores são outro forte incentivo.

Líderes entusiasmados,
trabalham duro e comunicam sua visão aos funcionários são muito mais propensos a ter uma equipe forte e dedicada do que os líderes que não possuem essas qualidades.

3. Sabedoria Comunicativa: escutar e falar.
Uma liderança eficaz requer – essencialmente – profundas habilidades de comunicação.
Os colaboradores precisam sentir que suas opiniões, feedback e ideias são ouvidos e avaliados.

Além disso, uma comunicação clara é valiosa, e dificulta ruídos, incertezas e insegurança.

Tenha certeza de que, os líderes que se comunicam com eficácia encontram menos preocupação entre os membros indecisos, ou mais inseguros da equipe.

É claro que a capacidade de falar sobre outras coisas, além do trabalho, também não pode prejudicar.

A equipe apreciará os líderes que eles sentem que conhecem em um nível pessoal, que não precisa ser excessivo, a ponto de expor sua privacidade.

4. Organização e Pontualidade.
Líderes que planejam com antecedência têm uma necessidade inerente de manter o controle de tudo, em vez de esperar que uma crise aconteça.

Excelentes habilidades organizacionais são necessárias para manter-se no topo das metas de longo prazo e das necessidades diárias.

Independentemente de como eles lidam com isso – com assistentes executivos, planilhas do Excel ou ferramentas avançadas de rastreamento de metas, líderes eficazes se mantêm organizados e, portanto, pontuais.

5. Gestão positiva na Resolução de Problemas.
Problemas?
Sim, liderar é lidar com problemas diariamente.

Deve ser competência da gestão a resolução de problemas pertinentes à sua área e equipe.

Os líderes que planejam com antecedência estão em melhor posição para enfrentar os problemas, porque os anteveem e sabem como Agir, quando surgem inesperadamente.

Ser Outlier!

Pensar fora da curva, longe da caixa é de suprema utilidade.
Sabe por quê?
Porque os problemas não aparecem trazendo consigo um manual de instruções.

6. Humildade: busca de aconselhamento e ajuda – quando necessário.
Em empresas sérias, os líderes são conhecedores e educados em seus setores e organizações.
Certo?
Sim, certo.
Acontece que ninguém sabe tudo.

Líderes eficazes não apresentam vícios egóicos e arrogantes forçando seu caminho para projetos e áreas que não possuem conhecimento aprofundado.

Diferentemente disso, procuram conselhos e ajuda de colegas e funcionários para aumentar seus conhecimentos e realizar seus projetos.

7. Compassivos, leais e Íntegros.
Tenha clareza solar de que seus colaboradores encontram dificuldade de trabalhar com comprometimento, se não respeitam seu líder.

Você – Pessoa Líder – pode conquistar o respeito apoiando seus colaboradores, quando necessário. Agindo e decidindo com ética e sendo moralmente responsável.

Lembre-se sempre de nunca se esquecer de lembrar que:
a gentileza e empatia com cada pessoa na empresa é o diferencial de líder proativo, porque ele viabiliza que os colaboradores vendo sua postura e exemplo, sintam-se à vontade de expor suas opiniões e exibir suas qualidades e habilidades, agregando valor à equipe.

8. Inteligência Emocional refletida no comportamento calmo.
Grandes líderes não entram em pânico no início dos problemas, mesmo que não os tenha antevisto.

Eles param, refletem e decidem de maneira calma e racional, alinhada com a estratégia de seu negócio.

Manter a calma sob pressão compreende:
a) um traço de personalidade nato;
b) um comportamento que pode ser aprendido e construído através de cenários de “prova de fogo”.

Essa característica adquirida, é importante, porque a ação através da deliberação é mais certeira para a conquista do sucesso do que a tomada de decisão emocional.

9. Enaltecem e utilizam os pontos fortes da equipe.
Não é escolha, faz parte das atribuições dos líderes eficazes, conhecer os pontos fortes e fracos dos membros de sua equipe.
Assim tem clareza e agilidade ao eleger a pessoa para realizar certas tarefas.

Flexibilidade e Raciocínio rápido compõem um líder proativo, o ‘pensar e agir fora caixa com risco previsto’ é viável, apenas não nos momentos de crise.

Nessas horas, necessita-se de um tempo de resposta rápido e o colaborador ideal, em quem se pode confiar a realização do trabalho de modo rápido e perfeito.

10. Aprendem com os feedbacks.
Líderes eficazes estão sempre dispostos a desenvolver seu conjunto de habilidades e aprender com os erros, assim como espera de seu time.

É uma vida de mão dupla sempre. A capacidade de receber, refletir e melhorar com as críticas construtivas é crucial.

O feedback, tanto positivo quanto negativo, é uma ferramenta extremamente importante na melhoria de processos futuros.

Os líderes devem ser seguros, objetivos, durões e capazes de aprender com as críticas de seu trabalho e táticas de liderança.

O segredo para uma liderança altamente eficaz é um plano estratégico bem definido e executado que alinha adequadamente os departamentos em objetivos comuns dentro de uma organização.

Está com dificuldade em ser Líder Proativo?
Agende uma conversa gratuita comigo e saiba como posso
ajudar você a alinhar e engajar sua equipe com seu plano estratégico.

Escreva nos comentários:
Qual característica de liderança proativa você possui ou seu gerente possui e você aprende com ele? 

 

contexto

Liderança – Poder do contexto

LÍDER: Aprenda a enxergar o contexto

Nesse momento de incertezas no país e no mundo, necessitamos de uma visão geral, do contexto e a presença de um processo que envolva estratégia e negócios é imprescindível.

É sabido que os líderes precisam de espontaneidade para tomar diversas decisões, mesmo com fatores desconhecidos, porque a sobrevivência depende dessas escolhas cujos resultados são viáveis, independente da situação.

Você pode me perguntar: “Ok, Mel! Começo por onde?”

Querida Pessoa Líder, com uma atitude simples: PERGUNTAS.
Quando éramos crianças, apreendemos o mundo perguntado: O quê? Por quê? Como?

Graças à nossa educação e, para muitos as reiteradas vezes que ouviram algo parecido com:

“Chega de Perguntas!” “
Para com essa bobagem.”
“Um dia você descobre.”
“É assim, porque é assim.”
“Criança chata, perguntelha.”

Fomos perdendo o hábito de perguntar, até mesmo na escola, lembro-me que o aluno que fazia muitas perguntas, era considerado chato, ‘burrinho’ – até mesmo pelos professores.

Sendo que todas as correntes pedagógicas enaltecem o hábito de perguntar o que você quer saber como parte do processo de aprendizado de longo prazo.
Aliás – até Sócrates falou da importância do ato de perguntar.

Então, vamos lá, sugiro que você faça estas 6 perguntas primeiro para si mesmo.
Responda-as com objetividade e verdade.
Depois, faça-as para seus familiares, colegas de equipe e amigos.

Explore essas ideias, para que você tenha uma visão de contexto.

  1. O que está acontecendo no nosso mundo hoje?
  2. O que esse[s] acontecimento[s] significam para nós?
  3. O que esse[s] acontecimento[s] significando para os outros?
  4. O que tem de acontecer primeiro para que tenhamos os resultados desejados, as mudanças que você quer [que queremos]?
  5. Qual é o nosso papel de agentes transformadores nesse contexto?
  6. Qual é a primeira atitude que você deve [que devemos] ter?

 

Quando você trabalha com essas 6 perguntas, você tem uma visão ampla:

a) Dos anseios da família e amigos;
b) Da abordagem ideal para avaliar e viabilizar que a empresa ganhe dinheiro, melhore seus resultados.

Trata-se de um processo interativo que enfatiza as suas habilidades mentais de líder, para ver e enxergar de maneira qualitativa como o mundo está mudando – quase sempre incluindo as perspectivas das pessoas a sua volta.

Na verdade, é uma grande mudança de paradigma para os Líderes acostumados às velhas regras práticas, pois transcende as crenças gravadas na mente de muitos profissionais, executivos, líderes de equipe.

Essa atitude representa que você abre mão da confiança habitual e linear do “time que está ganhando não se mexe” – nesse caso atitudes que sempre deram certo, continuam e continuarão dando certo.

Você está propondo uma nova mentalidade capaz de perceber tendências de modo ágil, entendê-las, mesmo que sejam garantia de sucesso automático.

Pelo contrário, o sucesso de toda estratégia depende do rigor e da disciplina no processo de implantação, visualizando as mudanças, deduzindo ações específicas, para implementar o seu Projeto Pessoal, carreira, negócios.

Faz sentido para você essa ferramenta?

Autossabotagem

Como vencer os Sabotadores de Sucesso

Uma carreira bem-sucedida, sucesso nos negócios, vida pessoal feliz são buscas comuns à maioria dos humanos, contudo sempre encontramos barreiras entre o estado A e o estado B.
Essas, consideradas bruxas, possuem imensa vilania e recebem inúmeras expressões, como:

“É difícil!”
“Eu não consigo.”
“Amanhã eu começo.”
“Eu sonho, mas não é para mim.”

Tais expressões vêm acompanhadas de comportamentos. Usando a linguagem psicológica, em Coaching, chamamos de comportamentos sabotadores, impedidores da sua evolução pessoal, profissional e empreendedora.

Em outras palavras, com esses comportamentos sabotadores você não irá a lugar algum, ficará estagnado, olhando o mundo evoluir, entrando sempre na lista negra do desemprego, do fracasso.

Qual é a atitude importante e necessária?

Eliminá-los definitivamente e conhecer o nosso amigo FOCO nas suas competências positivas que – o coloquem mais perto da realização de suas metas e propósitos de vida.

Apresento-lhe algumas dessas barreiras, grandes bruxas, vilãs do SUCESSO e saiba como eliminá-las:

Barreira 1: Má Administração do Tempo e ausência de Foco.

Essa vilã tem o poder de atrapalhar muito seu desenvolvimento.
Saiba que, má administração do tempo significa ausência de prioridade, ou – até – uma desculpa “esfarrapada”, para não priorizar o que realmente é importante para você.


Solução possível que pode ajudar muito em sua organização de tempo: OUSAR.
1. Mantenha o FOCO, para tanto lance mão de uma agenda (de papel ou tecnológica), pode ser também uma planilha de atividades diárias.
3. Enumere todas as tarefas que rotineiramente realiza, ordenando-a por prioridade: (A) importantes; (B) urgentes; (C) circunstanciais.
Assim facilita o que você deve fazer primeiro, evitando procrastinar (deixar tudo para depois, para a última hora).

Lembre-se de elaborar essa planilha com harmonia,
dosando com qualidade a vida profissional e a vida pessoal.

Barreira 2: Falta de Motivação, estresse, rotina desgastante.

Outra vilã poderosa ao seu desenvolvimento do pessoal ao profissional é a Falta de Motivação que pode vincular-se a inúmeras realidades, tais como: cansaço, falta de reconhecimento, improdutividade.

Ser MOTIVADO é uma decisão pessoal, vem de nosso mundo interior, por isso você necessita enumerar seus objetivos e a realização deles, visualizar-se nesse momento de plena realização. Essa decisão será mais forte do que os desafios e fracassos na jornada.

Devemos voltar nosso olhar para os filósofos gregos, entender que: 

‘Assim como a natureza tem dias de chuva e de seca, de frio e de calor;
nós – que fazemos parte da natureza – também teremos dias bons e ruins.’

Tanto um quanto o outro fazem parte da normalidade, no ciclo da vida.
Devemos evitar é abatimento diante do primeiro problema, da primeira dificuldade que surgir na caminhada pessoal, profissional e/ou empreendedora.

Analise a situação-problema, busque soluções para ela, enumere os aprendizados que ela trouxe os insights que surgirão a partir dela, fortificando você – ainda mais.

Solução Imprescindível: VENCER BARREIRAS.
Enfrente seus desafios na hora, frente a frente, olhe amorosamente seus problemas nos olhos e veja neles possibilidades de evoluir, de aprender; como oportunidade de mudança.

Se você não está feliz em seu relacionamento; dialogue com sua parceria, enumerando o que está bom, o que precisa melhorar e JUNTOS encontrarem saídas, para eliminar o que não está bom.

Se você não está se sentindo pleno e realizado no seu emprego; busque nova oportunidade de empregar suas competências, melhorar sua remuneração e obter reconhecimento profissional ou pessoal.

Se você está acima do peso; procure um médico, uma nutricionista, faça atividade física, assumindo uma postura saudável diante da vida.

Se você está estressado demais, cansado demais, irritado demais; verifique a data do seu próximo período de férias, planeje-as com alternativa diferente da vida rotineira (se você mora em grandes cidades, pense em algo no campo, praia tranquila); monte atividades de recreação ao ar livre nos findis, vá a parques de sua cidade, caminhe, pedale, patine, jogue futebol com os amigos, relaxe – dormindo até mais tarde, lendo um bom livro, conversando com amigos, idosos e crianças, brincando com crianças, animais.

Lembre-se sempre de manter o FOCO no que é positivo e agrega valor,
acredite no seu potencial interno.

Tendo a certeza de que, a cada amanhecer,
nasce uma nova oportunidade de fazer diferente,

de dar novos passos rumo à realização.

Barreira 3: Zona de Conforto.

Essa vilã corresponde a um dos principais comportamentos limitantes, o comodismo impede você de avançar, de realizar ações novas, de crescer.
TBC, como diz meu mestre: Tire a Bunda da Cadeira!
Saia da sua zona de conforto, pense fora da curva.

Soluções Poderosas: Busque novos conhecimentos (leia bons livros, faça cursos de aperfeiçoamento profissional, de desenvolvimento pessoal).
Cultive novas maneiras de viver com mais saúde, de trabalhar com mais proatividade, de exercer sua liderança com mais produtividade.
Ações simples que alicerçam sua vida e podem direcioná-la para onde você deseja, para seus resultados desejados.

Coloque em práticas essas dicas, eliminando definitivamente essas vilãs, esses comportamentos sabotadores que impedem seu crescimento pessoal e profissional.

A Mentoria de Liderança pode ser uma excelente aliada nesse seu processo.
Sabe por quê?
Porque é uma metodologia poderosa de desenvolvimento humano, ideal para quem busca IR ALÉM e realizar. Realizar através de mudanças permanentes em sua vida, envolvendo todos os setores.

Com o auxílio de diversas ferramentas científicas e técnicas, você aprenderá a PILOTAR o avião da SUA Vida, dando novos significados para comportamentos e crenças limitantes, negativas e bloqueios internos, conquistando assim todas as habilidades necessárias, para alcançar e realizar todos os seus objetivos e sonhos, de maneira EXTRAORDINÁRIA.

Qual é a maior barreira entre você e seu desenvolvimento pessoal e profissional?
Responda nos comentários.

PODER da ESCOLHA

Qual o destino você escolhe?

O povo brasileiro já cantou, foi às ruas, exigiu Diretas Já, pediu impeachment duas vezes… faz parte da história do Brasil. E assim se fez.

Demorou um pouco, mas o país está sendo passado a limpo. Desejamos que essa faxina aconteça ampla, total e irrestritamente e vá até o final.

Uns culpam a colonização pela situação atual; outros a ditadura, mas como diz a sabedoria popular: “Quem com porcos se mistura, farelos come.” Aliás, uma boa referência a esse dito é o livro Revolução dos Bichos, de George Orwell.

Herbert Viana cantou sua poesia: “Luiz Inácio falou, Luiz Inácio avisou são 300 picaretas com anel de doutor!” E como dizia minha mãe: “cospe pra cima e veja onde o cuspe cai”.

Pois é, ele falou, ele avisou e recebeu o cuspe com respingos nas caras dos caretas.

Direita? Esquerda? Centrão? Isso é coisa do passado.

Atualmente, temos na famosa feijoada  um pouco de tudo. Quem cozinha, sabe que todas as carnes, quando misturadas ao caldo do feijão (corrupção), tudo fica tingido, não escapa nada.

Mas, sempre escapa alguém.

Quem? Talvez quem ainda não tenha sido citado, convocado, detido, fugido, delatado, aprisionado, menosprezado a Pandemia, viajado com malas, dinheiro em cuecas e afins.

Julgar. Devemos deixar esta missão a quem de direito e proficiência para isso.

Clamar por JUSTIÇA é um direito do povo. Mas, de quem estamos falando, que povo é este:

  1. o trabalhador que sofre com o desemprego?
  2. o trabalhado incansável para viver com dignidade?
  3. o povo manipulado por instituições de ordem e bandeiras?
  4. o povo iludido com falácias e sofismas de quem – ainda – não sabe de nada?
  5. o cidadão que tem acompanhado, estudado a situação sem tendências partidárias ou simpatias políticas?
  6. o cidadão sedento por Ordem e Progresso?

Não importa, porque cada um possui suas convicções e elas estão certas, sob o ponto do vista do observador.

Levanto aqui uma reflexão – sem julgamentos: DISCERNIMENTO é um caminho, mas quem diante do cenário político atual, possui idoneidade moral, ética para se candidatar?

Ora, com urnas vendidas ou não, quem está no poder e neste picadeiro de 5ª cuja apresentação receberia do velho Chacrinha buzinaços antes do primeiro segundo – representa você.

Sim, isso mesmo!

Você pediu, cantou, lutou, acreditou e pode estar se esquecendo da canção do Cazuza:

“Brasil, mostra a tua cara!
Quero ver quem paga pra gente ficar assim.
Brasil, qual é o teu negócio, o nome do teu sócio, confia em mim!”

O Brasil está mostrando a sua cara, você já sabe quem paga e recebe, conhece os nomes dos sócios.
Resta agora saber, se o Brasil merece confiar em você.

O Brasil está pronto para seguir o seu caminho.
Você está pronto para aprender com seus erros.
Isso é treinamento para a Excelência.

Se você já pintou a cara, fez faixa dupla verde-amarela… Show!
Fez o seu melhor, não importa qual bandeira você levantou, defendeu.

Estamos em outro momento. “Errar é humano, aprender com o erro e acertar é DIVINO.”

Assuma sua sabedoria com humildade, reconhecendo os erros do passado.
A hora é de construir novos comportamentos, novas crenças, novas posturas e UM NOVO PRESENTE NOVO, para UM FUTURO PROMISSOR.

Está em suas mãos, em nossas mãos.

Então, busque saber mais e mais sobre todos os envolvidos, use sua inteligência e intuição, para enxergar além do que está sendo amplamente divulgado nas mídias e redes sociais.

Elabore com bom-senso, com ética, com justiça, com inteligência o seu pensamento sobre a realidade atual.

Sinta em sua essência, qual é o FOCO desejado para o BRASIL.

Fale o que seu pensamento e sentimento traduzem, assuma responsabilidade.
Tenha atitudes congruentes com seus valores.

E, antes de poluir sua timeline com hastags, notícias tendenciosas, ocupe sua vida com o conhecimento dos fatos e lembre-se sempre de nunca se esquecer de lembrar:

“Você é PROTAGONISTA da SUA HISTÓRIA.
Você COMANDA a sua VIDA.”

Você merece ser representado no Executivo, Legislativo, Judiciário, nos cenários federal, estadual, municipal por pessoas com aspectos similares aos seus: honestidade, dignidade, justiça, ética, moral, lealdade, verdade.

Pense nisso.
Sinta minha intenção.
Troque minhas palavras pelas que façam mais sentido para você.
O Brasil em progresso com ordem precisa de você.

Mas, ASSUMA O COMANDO DA SUA VIDA, sendo o VERDADEIRO protagonista da sua História.

Querido Líder! Querida Líder!
Você pode não gostar de política. Eu respeito.

Agora, você é LÍDER e seu país necessita de sua INTELIGÊNCIA EMOCIONAL E RACIONAL em equilíbrio, da sua MATURIDADE e, principalmente, da sua responsabilidade na hora de escolher e votar para Deputado Estado, Deputado Federal, Governador, Senador e Presidente.

A era das PAIXÕES, das SIMPATIAS já passou, isso é coisa de adolescente.
O MOMENTO é de SANIDADE e CONSCIÊNCIA SÓCIO-POLÍTICA.

Já houve o tempo que o voto se definiu pelo mais bonito (Collor), o mais simpático (Collor), o mais popular (Getúlio, Lula, Dilma), o mais intelectual (FHC), o mais religioso (Bolsonaro), o mais verde-amarelo (Bolsonaro), o mais vermelho (Lula, Dilma)… 

Quem merece e deve ganhar é aquele que você CONFIA e ACREDITA que pode CUMPRIR com a PALAVRA e ajudar o POVO da NAÇÃO BRASILEIRA: do miserável ao rico, sem exceções.

É importante fugir da mentalidade de vira-lata e usar o discurso dos Miseráveis. Isso é miopia.

É VITAL desenvolvermos a MENTALIDADE PRÓSPERA e saber que:

  1. quanto mais EMPREENDEDORISMO, mais RIQUEZAS e mais postos de trabalho;
  2. quanto mais CULTURA FORMAL, mais pessoas conscientes de seus direitos e menos fanáticos e tendenciosos de um e outro lados;
  3. quanto mais EDUCAÇÃO de QUALIDADE, mais pessoas ocupadas com a sustentabilidade;
  4. quanto mais EDUCAÇÃO, mais respeito ecumênico, étnico, LGBTQIA+ …
  5. quanto mais SAÚDE INTEGRAL, maior a agricultura e pecuária sustentáveis e a comida em todos os pratos;
  6. quanto mais JUSTIÇA SOCIAL, menos auxílios governamentais, porque haverá MAIOR oferta de trabalho e remuneração digna;
  7. quanto mais RICOS, mais consumo, mais negócios, mais trabalho, mais dignidade, porque dinheiro é energia que circula e favorece a todos.
  8. quanto mais ASSISTENCIALISMO, mais e mais o povo brasileiro será tratado como incapaz, como massa de manobra política, criando abismos econômicos.

Estude com maturidade, atenção, cuidado e detalhe as propostas de TODOS os candidatos e as possíveis consequências de suas bandeiras e ações.

Conhecimento é poder transformador.

Deixe seu comentário sobre este artigo.

 

 

O que você enxerga

Gestão de Projetos – Além do que se vê.

“A vida é o que fazemos dela.
As viagens são os viajantes.
O que vemos não é o que vemos, senão o que somos.”
Fernando Pessoa

O que você vê na sua vida?
O que você vê e enxerga na foto presente neste post?
Alguma vez, você trocou a cor, ou cortou os cabelos e ninguém percebeu?
Tem um estudo sobre isso!

Em, 1998, estudiosos das Universidades de Harvard e Kent fizeram um experimento que – talvez – você já viu e riu muito reiteradas vezes na famosas “pegadinhas”, em programas de auditório nas TVs abertas e fechadas.

O estudo é este:
Cenário: uma rua, praça pública.
Envolvidos: Um ator necessitando de uma informação. Um pedestre comum. 2 trabalhadores carregando caixas, ou materiais de construção.
Contexto: Ator faz uma pergunta ao pedestre, enquanto esse responde, 2 trabalhadores passam carregando um objeto que impede a visão entre o ator e o pedestre com alguns segundos.
Novidade: enquanto os trabalhadores estão passando trocam o ator, por alguém com trajes e aparência diferentes.
Conclusão: 50% dos testados não perceberam a mudança do ator, continuaram dando a resposta e foram embora.

O que podemos entender desse estudo?


Nós não notamos o que está diante de nós.
Esse é o motivo pelo qual no Reality BBB, os participantes com o passar das horas, esquecem que estão sendo observados – até que alguém alerta.

A questão é que não temos tanta consciência do que se passa à nossa volta. Esse fato chama-se Cegueira a Mudanças”.

Cegueira a Mudanças é a nossa capacidade seletiva em relação ao que apreendemos em qualquer cena visual, concluindo que nos pautamos muito mais pela memória e o reconhecimento de padrões, do que pelo que estamos – de fato – vivenciando.

Vamos exercitar o nosso cérebro!

Olhar. Ver. Enxergar os detalhes. Perceber as pequenas mudanças em nós e nos outros é uma prática que funciona como afinar um instrumento musical, ou seja, proporciona mais cor à vida.

A autoLiderança e a liderança de pessoas correspondem ao mesmo canal de comunicação, ou seja, os erros que cometo comigo mesma, tendo a cometer com as outras pessoas.

O mesmo se reflete na Gestão de Projetos, a régua, a medida é a mesma, por isso os erros se repetem sucessivamente.

Em meus 30 anos de atendimentos a pessoas e empresas, observo essa rigidez pseudo-prática de olhar a situação e deduzir os resultados.
Tudo muito precipitado, sem estudo e os resultados serem sempre os mesmos.

Estamos falando de VIDA. A vida é dinâmica, assim como a Gestão de Projetos.

Temos de analisar em profundidade: olhar ⇒ ver ⇒ enxergar ⇒ perceber ⇒ analisar a melhor estratégia de mudar aquela situação e implantá-la com todo o cuidado e comprometimento.
Com a intenção de acabar com o conflito, de alavancar as vendas, de potencializar o profissional, de proporcionar saídas saudáveis e sustentáveis para os relacionamentos.

Responda: O que você vê na imagem deste post?

Leia Também:

Como ser um Líder Autêntico

Dica de Leitura: Transformando suor em ouro

4 hábitos que dão um Up na sua Liderança

 

Autoconhecimento gera Alta Performance

Autoconhecimento gera Alta Performance

Você é LÍDER da sua vida!
Você é empreendedor na sua própria vida!


E como tal, você e eu temos “aqueles” ingredientes básicos que nos inspiram, nos motivam e nos conduzem à busca constante de nossos objetivos e metas.

Sonhar é motivador.

Visualizar-se em uma casa grande e bonita, dirigindo um carro caro, trabalhando numa grande empresa, ou – até – por que não, vendo a própria empresa prosperando com lucros astronômicos; construir uma família parecida com a família dos comerciais de margarina.

Acordarmos diariamente, trabalharmos, estudarmos, lermos bons livros, termos nossos momentos de esporte e lazer, podem ser caminhos escolhidos, para alcançarmos o almejamos. Sim, excelente.

Você, agora, enquanto lê este artigo pode responder a essas questões com VERDADE:

  • O que motiva você?
  • O faz de você uma pessoa FELIZ?
  • O que você quer para a sua vida? Qual o seu desejo?
  • Quais são suas metas? Como e onde pretende estar daqui a 6 meses, 1 ano? 5 anos? 10 anos?
  • Como quer estar financeiramente?
  • O que você pretende fazer com sua família?
  • Como você quer estar?

Perguntas básicas que nos permitem identificar quais são nossas reais expectativas com o nosso principal empreendimento: NOSSA VIDA.

Podemos principalmente, conhecer nossos REAIS motivos para ação, ou seja, nossa motivação pessoal.

Conhecendo nossa MOTIVAÇÃO, podemos entender como e por que devemos tomar esta ou aquela atitude, mudar este ou aquele hábito.

Num próximo passo, outras perguntas surgem, para alicerçar a caminhada:

  • O que você deve fazer para alcançar seus objetivos?
  • Em quanto tempo quer ver seus objetivos alcançados?
  • Qual a sua estratégia de conquista?
  • De quem dependerá seu sucesso?
  • Quais os seus apoiadores?

Quando determinamos O QUE queremos, sabemos a finalidade e a maneira como faremos, nesse momento nossa motivação e o nosso desenvolvimento pessoal se fortalecem e potencializam nossa performance.

Resultado: alcançamos nossos objetivos com assertividade, produtividade e, principalmente, em curto espaço de tempo.

Isso é um processo de AutoConhecimento! 


Desenvolvi essa Metodologia que alia psicoterapia, coaching com diversas outras maneiras de agilizar a Jornada do Aqui-Agora até o Estado Desejado.

Eu acredito nessa metodologia de autoconhecimento, de melhoria de performance, nesse processo de resultados mensuráveis.

São  encontros de mergulho em si mesmo, de autorreflexão, autoconhecimento, auto desenvolvimento, onde encontramos nossos Valores Verdadeiros e Crenças Poderosas, reconhecemos nossas Habilidades e Competências, enxergamos muito além dos nossos Pontos Fortes, os pontos de Melhoria, os fatores limitantes e sabotadores. E, com ferramentas científicas, dar novos significados.

Essa jornada gera reflexão e comprometimento, em prol do alcance dos seus objetivos e metas, dos seus sonhos e desejos; enfim, para a Gestão Eficiente e Eficaz de todos os seus projetos.

Proponha-se um RUMO novo para a sua jornada no planeta Terra, conquiste-se e entenderá como cada dia é o começo de um novo ciclo de uma nova etapa, traçando novos planos, novas metas, novas expectativas para realizações e, principalmente Sonhando novos SONHOS.

Faz sentido para você ousar e fazer
uma Jornada de Autoconhecimento para atingir seus objetivos?


  • Leia também:

Como vencer as 4 armadilhas mentais que afastam você do topo? 

Por que fracasso se minhas ideias são fantásticas?

Como agir de modo emocionalmente inteligente?