Poder da Autoliderança

Semente Diária 11/11/2022

Líder:

Sua Liderança começa em você!

Eu sei que pode parecer clichê, mas é uma realidade inquestionável, cito a frase de Mahatma Gandhi: “Seja a mudança que você quer ver no mundo.”

É sobre isso!

Se você quer ser amado[a] por alguém: Ame-se primeiro.

Se você quer ensinar alguém: Domine o conhecimento.

Se você quer ter sucesso: Trabalhe até dar certo.

Se você quer ajudar o mundo: Ganhe dinheiro para compartilhar.

Se você quer respeito: Respeite a todo ser vivente.

Portanto, se você quer exercer uma LIDERANÇA EFICIENTE, EFICAZ com RESULTADOS RELEVANTES, aprenda a se LIDERAR.

  1. Vença a procrastinação.
  2. Seja organizado[a] nas mínimas coisas da sua vida.
  3. Seja pontual em seus compromissos.
  4. Aprenda o poder do diálogo não-violento.
  5. Entenda que as pessoas são diferentes e poderosas.
  6. Respeite a opinião de cada pessoa.
  7. Tenha metas para sua vida.
  8. Que Ética seja um VALOR importante para você.
  9. Desenvolva a empatia.

Você pode estar pensando: “Essa Mel, pensa que é fácil!”

Eu lhe digo: “Eu penso que existem dificuldades que podem – com certeza -serem vencidas.”

Analise sincera e profundamente do que você precisa:

  1. Cursos para aperfeiçoar seus conhecimentos técnicos;
  2. Atividade física para desestressar;
  3. Fazer uma mentoria do Autoconhecimento para entender e curar suas limitações.

Lembre-se sempre de nunca se esquecer de lembrar:

Você sempre PODE escolher o caminho mais curto, ético e bem-sucedido.
Apenas esteja ciente de que terá que investir MUITO:
trabalho, dedicação, disciplina, perseverança, amor e alegria no processo.
Isso se chama: AutoLiderança.

 

Estamos JUNTOS nesta jornada.

Eu RE-conheço LIDERANÇA em você!🚀

Abraço Empoderador da Mel.

Empatia é qualidade de líder

Semente Diária 10/11/2022

Líder:

Sua capacidade de Empatia reflete seu comprometimento com sua Liderança.

Devemos sublimar a ideia, o conceito, a crença de aproximação do chefe como líder.

Por definição, chefe é o termo usado para designar o profissional com certa autoridade no organograma da empresa. Se pensarmos no modelo tradicional organizacional, o papel do chefe ‘foi’ essencial para garantira o cumprimento das atividades, dos deveres dos colaboradores, de modo a manter a estrutura dos processos e da hierarquia.

Essa figura se instaurou, desde a Revolução Industrial, na presença do supervisor, do encarregado que garantia a alta produção na linha de montagem, que agia com esforço físico, pressão e cobrança.

Já o líder relaciona-se com inspiração, porque VOCÊ que lidera, inspira os outros a fazerem suas proposições, porque elas são pertinentes para a obtenção dos resultados positivos de todo o time. Toda ação do líder está no poder do diálogo, dos acordos.

Por esse motivo que a Liderança Empática precisava se fazer presente nessas Sementes Matinais, porque ela é focada nas pessoas, no relacionamento.

O líder visa aos resultados crescentes, recorrentes claramente; contudo, ele se mantém focado em apoiar, organizar e promover cada um dos membros de seu time, enaltecendo-os.

Uma liderança participativa, porque possui a escuta ativa, considerando as expectativas, ideias, posicionamentos e sentimentos de cada colaborador.

A mentalidade desse líder é empática, porque ele conhece a realidade do seu colaborador, afinal ele já ocupou aquela posição. Sendo assim, reconhece a necessidade da criação de um Clima de respeito e confiança mútua, viabilizando a criação da melhor estratégia para a comunicação e gestão da sua equipe.

Se você está numa equipe satisfeito[a] com a liderança, sente-se à vontade para expressar sua opinião, sentimentos, porque sabe que a escuta é real, assim como o reconhecimento por suas habilidades, competências; provavelmente você tem uma liderança empática.

Gostou desse post?
Compartilhe este conteúdo em suas redes sociais, conhecimento é poder e merece ser compartilhando.
Passe adiante!

Estamos JUNTOS nesta jornada.

Eu RE-conheço LIDERANÇA em você!🚀

Abraço Empático da Mel.

Ética

Ética: Questão de Conveniência ou Base da Liderança

Ética, nunca na história desse país, esse substantivo foi tão usado, como neste século.

Poucos conhecem o significado desse trissílabo proparoxítono!

Faz-se importante, conhecer o que diz o dicionário sobre este verbete: Ética [substantivo feminino] parte da filosofia responsável pela investigação dos princípios que motivam, distorcem, disciplinam ou orientam o comportamento humano, refletindo especialmente o respeito essencial das normas, valores, prescrições e exortações presentes em qualquer realidade social.

Que lindo!

Na Teoria fundamenta-se na Base da Liderança eficaz, eficiente e honesta.

Na Prática flexibiliza-se para a Questão de Conveniência: jogo de interesses, bajulação e lobismo.

É impressionante como é recorrente a quebra de confiança, resultando na falta de caráter, na mentira contumaz, nas falácias de muitas lideranças, principalmente na realidade corporativa.
Tal fato causa cada vez menos apontamento de dedos e introspecção séria e suspensão da prática.

ETs? Não.

Essas lideranças não seres intergalácticos, são humanoides, terráqueos, figuras midiáticas, influencers, CEOs. Analisando por esse ângulo, o que nos impõe não é um padrão de conduta alienígena, inverossímil.

São lideranças que vivem entre nós e, como tal, refletem atitudes e valores que são fácil e preguiçosamente escorregadios, porque não dizer pérfidos.

Vamos punir os ‘malfeitores’! Bradam uns.

São inocentes, vítimas do sistema! Protestam os simpatizantes.

Ruptura. Cisão. Polarização. Conjuntura estéril e que não permite diálogos, apenas discussões tendenciosas, ou a repressão dos contrários.

É a tendência, os colaboradores, ora rotulados de ‘Malfeitores’ podem – em última instância – serem punidos, sentenciados.

Alívio para os perseverantes, baseados na Ética. A crença de que o time pode – felizmente – seguir em frente confiante de que o problema foi resolvido e que o mal não os afetará mais.

Obviamente, deve existir punição suficiente, corretiva e pedagógica, para que todos façamos uma pausa, quando o pensamento necrosado, inóspito e corrupto de ceder à conveniência ocupar nossa mente.

Sim, há!

Só que, como disse o poeta Oswaldo Montenegro: “Sempre não é todo dia.”

As Leis Universais, ou a 3ª lei de Newton, conhecida como lei da ação e reação nos ensina que: ao aplicarmos uma força de ação contra um corpo, surge uma força de reação igual ou maior em um corpo diferente.

Você quer ‘resolver’ o problema?

Você deve dotar – não do impulso, mas da certeza de que o olhar deve se voltar para si mesmo, para o seu mundo interno.

Reforçar – no próprio caráter – o que acredita faltar nas lideranças corporativas.

Após, essa introspecção reflexiva, assumir as consequências de nossos atos.

Eu sei que essa questão pode parecer uma deficiência de abordagem, resultando no conhecido ‘tiro que saiu pela culatra’, porque não foi dado tempo suficiente para seguir seu curso e perceber que a abordagem estava errada.

Vale explicitar o fato, parafraseando o Ilmo. Presidente dos EUA, Abraham Lincoln: “Você pode trair a confiança de muitos por muito tempo; de alguns por algum tempo. Nunca de todos todo o tempo.”

Por isso, devemos ter muita cautela com a traição daqueles a quem você serve, aqueles que estão no poder. Mesmo que o seu fim desejável seja um upgrade na carreira, reconhecimento pessoal e/ou profissional, cumprir metas, ampliar os resultados do seu empreendimento.
Algo esperado pelas partes envolvidas, mas que corre o risco de prejudicar todas pessoas e recursos vinculados à sua atitude.

Faço-lhe uma advertência fraterna: Fuja do vício, rotineiro para muitos, conhecido como: ‘jeitinho brasileiro’ na intenção de se Autopromover, pois nunca será a melhor decisão.
Fatalmente tal atitude amadora, aparentemente “inocente” será percebida, causando uma mancha, mácula, ação punitiva, um perfil inaceitável em empresas sérias.

Hoje, estou fazendo muitas menções a pessoas muito especiais na minha história e que se fazem presentes em minhas mentorias.

Lembro o poeta inglês Robert Southey que observou:

“Nunca deixe um homem imaginar que ele pode perseguir um bom fim por meios malignos,
sem pecar contra sua própria alma. O efeito maligno sobre si mesmo é certo.”

Vivemos a Era Digital. Resolvemos quase tudo online.
São tempos delicados, um mundo pouco estável.

Um líder eficiente, eficaz e honesto dependerá mais dos seus recursos internos (conhecimento, habilidades e competências) do que das areias da mudança que mudam com o vento, sempre de acordo com a convenção social iminente.

Portanto, querida Pessoa Líder, se seus recursos internos não forem construídos sobre uma base sólida de Ética e Valores Morais.

Lamento dizer-lhe que você será sempre o Líder Nefasto, com aparência de Salvador, Necessário, Agregador, Ideal, pois contribuirá para a consolidação do problema; não com os atributos genuínos de um líder, que é ser um farol orientador, fornecendo a direção de que todo o time, a população tanto precisa, para evoluir e obter os resultados positivos, saudáveis que merecem.

Certamente, a razão subjacente para todas as negociações é: obter um lucro.
Entretanto, se não pode ser obtido honestamente, então não pode ser feito. Simples assim!

Hora de arregaçar as mangas e encontrar novos caminhos, novas estratégias viáveis para a Gestão dos conflitos, dos projetos, do desenvolvimento de cada colaborador.

Eu sei que, pode parecer sedutora a conveniência, por promover os ganhos de curto prazo. Curto prazo!

Já, a edificação do sucesso a longo prazo, só pode ser resultante do compromisso de: fazer o que é certo, mesmo quando esse curso de ação, esse processo, pode não lhe parecer interessante a curto prazo.
Ele será consistente, seguro e deixará um legado positivo para todos os envolvidos.

Finalizo com outra menção, ao oceanógrafo da Marinha dos EUA, do século XIX, Matthew Fontaine Maury exortou com razão, algo que ‘muitos brasileiros’ necessitam ler, escutar até tornar-se verdade absoluta:

“Onde o princípio está envolvido, seja surdo à conveniência”.

Querida Pessoa líder, esteja muito atenta para o fato de que o não exame dessas questões em nossas próprias vidas criará, elegerá, legitimará agrupamentos de líderes destinados à liderança com o mesmo compromisso nocivo.

Se você gostou deste artigo, comente e compartilhe.

Conhecimento é poder e merece ser
transmitido para o maior número de pessoas.

Mudança

Mudança em 5 fases

Quando o assunto é mudança, muitos de nós sente um frio na espinha e ficam paralisados; outros, respiram fundo e enfrentam.

O fato é que a mudança é geralmente um desafio e que em tempos de mudanças amplas, disruptivas e inevitáveis, gera inquietação.
Não estou falando de você, querida pessoa leitora, nem tão pouco de mim, eu me refiro à maioria de nós.

Este artigo quer refletir sobre como podemos desenvolver a qualidade de sermos bons em mudanças – preferencialmente aquelas que acontecem em nossa vida e vêm vestidas de crise.

A partir de muitos estudos sobre a Psicologia, a Neurociência, entendo que experimentamos de 5 fases, quando nos deparamos com uma mudança que não provocamos, mas que se apresenta diante de nós.

1. O Susto – a Ruptura – Saída da Zona de Conforto.
Diante da notícia, sentirmos medo, pânico é normal, por isso passamos pelo estado de cegueira.
Um estado de espírito que turva nossa mente racional e não conseguimos ver a situação com objetividade e exatidão.
É o momento de profundo desespero, e que nos exige compulsoriamente que saiamos de nossa rotina, do conhecido.
Sentimo-nos totalmente fragilizados, buscamos por soluções imediatas, afinal temos de nos livrar daquela ruptura – o mais rápido possível – porque temos a necessidade de segurança.
E, por desconsiderarmos todas as variáveis, nossas decisões são prejudiciais.

Você pode me perguntar: Mel, por que ficamos aprisionados no modo Susto?

Eu lhe respondo de três maneiras:
A primeira: fomos educados aceitar as perdas e não os ganhos, então o modo pânico representa que a PERDA é mais visível e perceptível; enquanto o ganho não.
Eis a primeira grande batalha interna, combater o sentimento de perda, vislumbrando os possíveis ganhos.

A segunda:
a crença de que ontem foi melhor do que hoje.
Essa crença nos aprisiona no passado e criamos verdades distorcidas que justifique, porque era melhor, com isso nos fechamos para todas as oportunidades que o AGORA nos fornece.

A terceira: estamos onde estamos por mera sorte: “Estou no lugar certo e na hora certa.”
Como pode ser o inverso, somos azarados por estarmos naquele lugar e hora.
Diante desse contexto, devemos parar por alguns minutos, respirar profundamente algumas vezes e nos perguntar:
1. Em outros processos de mudanças: o que eu superei?
2. Quais foram as habilidades que usei e que – ainda – as possuo agora?
3. Quais os conhecimentos que tenho agora e não possuía naquela época?

Com as respostas a essas 3 perguntas, começamos a delinear o caminho para prosseguirmos, controlando o reflexo do susto, nosso medo.

2.  Resiliência = adaptação 
Diante da mudança, nos perguntamos: “O que está acontecendo comigo?”

CUIDADO!!! 
Esse é um pensamento improdutivo e que nos faz vítimas, não temos controle, apenas reagimos.
Somos tomados pelo raciocínio de que a mudança é assustadora e que durará para sempre, sermos mudados – também – por ela de maneira irreversível.
Essa possibilidade da perda de identidade nos apavora, afinal: “Quem somos nós?”

Acontece que não somos o que fazemos.
Somos, porque fazemos, agimos e entendemos os nossos motivos.
Precisamos ampliar nossa perspectiva para nos adaptarmos à mudança enfrentada.

E temos a tendência a nivelar o pensamento dos outros com os nossos, mesmo sabendo que isso que não acontece.
Entenda de uma vez por todas que diante da mudança, precisamos olhar além do previsível, esse é o motivo pelo qual devemos entender que o momento é de consciência e não de dor.

Por exemplo: a mudança é você trabalhar numa nova empresa.
Concentre-se – apenas – no que está realizando agora, qualificando-se para executar as atividades com excelência, manifestando gratidão pela atividade e pela empresa atual.
Isso significa que você está se preparando para a nova empresa, para sua promoção.

Lembre-se de que fazer metas deve funcionar como motivação, não como limitação.
As metas representam uma direção, não é um mapa e não pode definir toda a sua jornada.
Olhe para frente com muito cuidado, para que não perca todas as possibilidades que lhe cercam de aprender e se superar.

3.    Novo Normal = Sobrevivência 
Essa sobrevivência é conhecida por todos nós, brasileiros que enfrentamos a Pandemia e ficamos isolados praticamente 2020.
Quando pudemos sair às ruas, entendemos que estávamos vivendo o NOVO NORMAL, pois estávamos vivos.
O período sobrevivência, ou novo normal é o outro estado temporário na jornada da vida.

Portanto, se quisermos assumir uma mudança, temos de ‘identificar partes de nossas experiências antigas que não mudam e utilizá-las para reformular a nova oportunidade diante de nós.

É normal que algumas circunstâncias nunca mudam e, podem desempenhar um papel fortalecedor e em nossa mudança atual.
A adaptação acontece analisando as circunstâncias como elas são – no aqui-agora – não como elas foram no passado.
Aproveite o momento para se perguntar: “Para que serve isso?”

Evite a tentativa de parar, de controlar a mudança iminente, quando nos perguntamos ‘para que serve isso?
Abre-se diante de nós um leque de oportunidades e dá-nos um novo propósito e maneira de se fazer presente no mundo.
Quando se entra no ciclo de falar sobre o que se gosta: “No meu tempo…” “Na minha época…”

Deve-se fazer a pergunta: Qual é o meu tempo?
Se você começar a perder a paciência com uma conversa, pergunte-se: “Para que serve esta conversa afiada?”

Enfatizo que “tudo é aula.”
As inovações tecnológicas, as atividades atuais, as conversas, tudo pode gerar aprendizado, crescemos muito quando interagimos.

4.    Sem Retorno = O Inexorável 
Fala sério, se lhe contassem de modo profético que o mundo inteiro, sem exagero, iria ficar em confinamento em casa até março de 2020 você diria: “Isso é impossível!”

E vimos o impossível tornar-se real, sem oportunidade de retrocesso.
Vale a pena ressaltar que a verdadeira oportunidade existe no desconhecido, reconsiderar o impossível.
Dê uma olhada crítica em tudo que você descarta, desvaloriza.

Falo de tudo que pensávamos ser impossível, ilógico, difícil demais, radical em excesso, intensamente ridículo para sequer considerarmos e explorarmos se – de fato – elas eram oportunidades o tempo todo.

Querida Pessoa Líder, se você está procurando uma vantagem competitiva, pergunte-se: “É real?”

Considerando que superficialmente pensamos que sabemos tudo, mas na verdade sempre existem outras camadas acontecendo.

O poder das perguntas, viabiliza o detalhar de qualquer diferença fundamental.

Essa técnica aplica-se – também – para a vida pessoal dessa forma:Posso estar insatisfeito[a] com meu trabalho, com minha empresa, essa insatisfação me permite – na verdade – descobrir, porque estou sendo pressionado[a] a identificar melhor o que eu amo e como persegui-lo.” 

5. Dinâmica
Obviamente que nem toda mudança é boa; toda mudança é certa.
E diante dela, temos de nos posicionar para passar pelas 4 fases rapidamente.

Pare de perder tempo, em vez de se definir com firmeza: “Eu sou isso!” “Eu faço aquilo.”

Ocupe-se em reconhecer que: Tudo o que fazemos, assim como tudo o que somos, é simplesmente a próxima coisa de uma longa fila.

Tudo é a próxima coisa, num eterno continuar de sucessos (avanços) e fracassos (aprendizados), portas que se abrem e se fecham.

Aproveite este momento para identificar qual é a mudança diante de você, use o conhecimento adquirido aqui e com suas vivências como facilitadores.

Boa Mudança! 

Musculatura Empatia

Semente Diária 18/10/2022

LÍDER:

Empatia está na moda a palavra e a prática onde está?

Vamos refletir sobre isso nesta manhã.

Diz o dicionário que Empatia se refere à capacidade de compreender emocionalmente um objeto, a faculdade de projetar a personalidade de alguém num objeto, a tal ponto que este se assemelhe com o que lhe foi impregnado.

Complicado? Um pouco.

Trocando em miúdos:
A Psicologia nos diz e eu concordo.
Empatia é a capacidade humana para se posicionar ao lado da outra pessoa e visualizar como se sentiria no lugar dela, vivenciando aquele momento difícil.

Muitos acreditam que Empatia é sentir a dor do outro. Isso é impossível, porque a dor é do outro.

Agora, todos temos a capacidade de nos colocar na posição do outro e avaliar como ele se sente.

Exemplo: Sexta-feira à noite, inverno intenso e chuva. Estamos alimentados, banhadinhos, roupas limpas, dentro de nosso carro, ouvindo uma música bacana, indo para o teatro.
Paramos no semáforo e visualizamos um homem com idade parecida com a nossa, mendigando.
Obviamente, que a maioria de nós não sabe o que é viver de esmolas doadas no farol, dormir nas ruas, embrulhado em panos, comendo sobras do lixo.
Entretanto, todos nós possuímos a capacidade de nos colocar naquela posição e entender o quanto é doloroso, humilhante, sem expectativa de melhorias.
É por isso que muitos de nós se compromete em doar cestas básicas, roupas e calçados em boas condições e – muitos – saem a campo, levando sopa nutritiva e quente em praças, marquises e viadutos – sem propaganda, fazem por empatia.

Vale a pena explicitar que a empatia é uma capacidade humana, mas existem muitas pessoas que não são empáticas.

Praticar a empatia requer a determinação, principalmente o desejo de ser uma pessoa melhor e mais humana.

Você sabe quais são as condições para agirmos com empatia?

  1. Sermos receptivos à nossa existência, à nossa inteiridade, sermos admiradores de nossas qualidades e entendermos nossas fraquezas como pontos de melhorias.
    Dessa forma estamos nos libertando de padrões rígidos ou barreiras que servem de impeditivo para um contato mais profundo e real com nossa essência;
  2. Reconhecer nossos limites e nossas necessidades como faces saudáveis para a nossa melhoria contínua e superação.

Você, Querida Pessoa Líder pode me perguntar: “Mel, qual a importância disso, da empatia?”

A importância está presente no nosso contexto social. Sem empatia, constatamos, entre outros:

Violência.
Corrupção.
Assassinos.
Roubos. Furtos. Assaltos.
Pessoas dissimuladas, enrolonas.
Abusadores.
Perversos.
Impacientes.
Intolerantes.
Preconceituosos.
Folgados.
Indiferentes.
Arrogantes.
Acordos não cumpridos.
Contratos quebrados.
Lares destruídos.
Trabalhos malfeitos.
Compra de produtos contrabandeados.
Roubo de sinal de internet.
Consumo de streamings ilegais.
Favorecimentos ilícitos.
Dinheiro na cueca.
Filas cortadas.
Pichações.
Direção imprudente.
Falsificação de documentos.
Carteiradas.
Estacionar em vagas exclusivas.

É fato que, diante do quadro exemplificado acima, o que vemos são pessoas que se tornam surdas, cegas e mudas para as necessidades que não sejam as próprias.

A empatia é uma capacidade que necessita ser desenvolvida, como se fosse um músculo.
Quanto mais exercitarmos, mais forte ela se torna em nossa vida.

Já, se formos deixando para depois, a musculatura torna-se flácida, fraca.

Falando bem sinceramente com você, querida pessoa leitora:
“Todos os dias há uma batalha interna em mim, por isso estou em constante treino da minha Inteligência Emocional, para me tornar uma pessoa mais gentil, compreensiva, amorosa, equilibrada, otimista, agente de transformação em todos os ambientes onde eu esteja.
E quem vence?
Well, às vezes vence a Mel que age (não discute diante de comunicação e posturas agressivas) e às vezes quem vence é a Mel que reage (perde a paciência, olha só para o próprio umbigo, discute).
Estou viva, portanto estou em evolução, a minha lapidação é constante. E, tenho a coragem de me olhar no espelho, de me ver e me enxergar com eu sou verdadeiramente, congruente com todas as minhas forças e fraquezas e sigo o meu caminho, caminhando e exercitando a musculatura da empatia.”

Lembrei-me de uma canção do Frejat: Amor pra recomeçar

Eu te desejo não parar tão cedo
Pois toda idade tem prazer e medo
E com os que erram feio e bastante
Que você consiga ser tolerante

Quando você ficar triste, que seja por um dia
E não o ano inteiro

E que você descubra que rir é bom
Mas que rir de tudo é desespero

Desejo que você tenha a quem amar
E quando estiver bem cansado
Ainda exista amor pra recomeçar
Pra recomeçar

Eu te desejo muitos amigos
Mas que em um você possa confiar
E que tenha até inimigos
Pra você não deixar de duvidar

Quando você ficar triste, que seja por um dia
E não o ano inteiro

E que você descubra que rir é bom
Mas que rir de tudo é desespero

Desejo que você tenha a quem amar
E quando estiver bem cansado
Ainda exista amor pra recomeçar
Pra recomeçar

Eu desejo que você ganhe dinheiro
Pois é preciso viver também
E que você diga a ele, pelo menos uma vez
Quem é mesmo o dono de quem

Desejo que você tenha a quem amar
E quando estiver bem cansado
Ainda exista amor pra recomeçar

Eu desejo que você tenha a quem amar
E quando estiver bem cansado
Ainda exista amor pra recomeçar
Pra recomeçar
Pra recomeçar

E, se você quiser começar este dia lindo cantando, clique aqui.

Exercitar a musculatura da Empatia:
Faz sentido pra você?

Estamos JUNTOS nesta jornada.
Eu RE-conheço LIDERANÇA em você!🚀

Abraço Empático da Mel.

5Ss da Liderança com Propósito

Os 5Ss da Liderança com propósito

Há algum tempo, li o livro The Heart of Business: Leadership Principles for the Next Era of Capitalism, o ex-CEO da Best Buy, Hubert Joly.

E, hoje quero compartilhar minha leitura com você, querida pessoa líder.

É um livro muito interessante onde ele compartilha a filosofia que alicerça o ressurgimento da Best Buy: buscando um propósito nobre, colocando as pessoas no centro do negócio, criando um ambiente onde cada funcionário pode florescer e tratando o lucro como um resultado, não o objetivo.

Ele compartilha e enfatiza o que aprendeu e o que necessitou desaprender, levando em consideração o tipo de liderança que exercemos.

Aproveita e conclui com os 5 princípios da liderança com propósito que lhe serviram de bússola.

1 Seja claro sobre seu propósito. O propósito das pessoas, dos seus colaboradores ao seu redor e como ele se conecta com o propósito da empresa.
Diz: “Acredito que o negócio é fundamentalmente sobre propósito, pessoas e relacionamentos humanos – não lucro, como prioridade. As empresas são entidades com alma. São organizações humanas construídas por indivíduos, trabalhando juntos por um propósito comum. Quando esse propósito comum se alinha com suas próprias buscas individuais de significado, desencadeia uma espécie de magia humana que resulta em desempenho excepcional. “

2 Seja claro sobre seu papel como líder. Você não pode escolher suas circunstâncias, pode controlar sua mentalidade, que determina se você gera esperança, inspiração e energia ao seu redor – ou derruba todos. Qual é sua escolha?

3 Seja claro sobre a quem você serve. Como líder, você deve servir as pessoas na linha de frente, conduzindo o negócio. Você serve seus colegas. Você serve seu conselho de administração.
Você serve as pessoas ao seu redor primeiro, entendendo o que elas precisam para dar o melhor de si, para que você possa fazer o seu melhor para apoiá-las.
O coach executivo Marshall Goldsmith uma vez me disse para ver todos como clientes. Antes de falar ou agir, seja claro sobre sua motivação e a quem você está tentando servir.

Nesse momento da leitura, descobri que temos o mesmo coach executivo, na verdade Marshall Goldsmith é meu mentor.

4 Seja movido por valores. Na maioria das vezes, todos concordamos com o que é certo: honestidade, respeito, responsabilidade, justiça e compaixão. No papel, toda empresa possui grandes valores. Os valores para serem bons, precisam ser colocados em ação, esse impulso de fazer o certo, não apenas conhecer ou dizer o que é certo. Saber e fazer o que é certo nem sempre é simples, obviamente. Envolve a flexibilidade do líder, se você se recusar a ceder ao “só desta vez” e se lembrar de dizer a verdade e fazer o que é certo, as escolhas se tornarão mais fáceis.

5 Seja autêntico. Nesse ponto da leitura, eu amei quando ele diz ter ouvido que: “a viagem mais longa que você fará são as 18 polegadas [45,72 cm] entre sua cabeça e seu coração.  É realmente uma longa e árdua jornada. Assim como os líderes da minha geração, por muito tempo acreditei que as emoções não deveriam ser compartilhadas em um contexto de negócios. Eu tinha muito a desaprender, e levei uma vida inteira para abraçar o quinto, e para mim de longe o mais difícil, “Seja”: Você mesmo, seu verdadeiro eu, todo o seu eu, a melhor versão de si mesmo.
Seja vulnerável. Seja autêntico.
Isso é algo que a nova geração de líderes parece entender de forma mais intuitiva e natural.”

Fecha a exposição dessa partilha reiterando que: “Nossos funcionários esperam que sejamos humanos e esperam que entendamos quem eles são e os façamos se sentir respeitados, ouvidos, compreendidos e incluídos. Isso significa que temos que nos abrir e nos tornar vulneráveis, inclusive reconhecendo o que não sabemos.” 

Faz sentido essa leitura para você?
Deixe seu comentário.

Liderança Autoritária

Semente Diária 13/10/2022

LÍDER:

Você tem duas opções: ou está sob o efeito da liderança autoritária ou já ouviu falar.

Se, no entanto, você – nem sequer – ouviu falar, apresento-lhe 6 características:

  1. Liderança focada no poder e pelo poder.
  2. Valoriza a execução dos processos em detrimento de toda e qualquer ação humana.
  3. É lei que os fins – sempre – justificam os meios.
  4. Liderado é inferior e não há necessidade de ter habilidade para se relacionar.
  5. Só vale a própria opinião e é incapaz de ouvir o posicionamento de terceiros.
  6. Ausência total da capacidade de relacionar-se com as pessoas e empatia.

E aí?
Conseguiu visualizar as posturas e rostos representativos desse modelo de liderança autoritária, baseado no despotismo e na inflexibilidade.

Esse modelo é um dos piores tipos de liderança, pois inviabiliza que a equipe seja incluída nas decisões, sendo assim não tem motivação para estabelecer vínculos na equipe, nem melhorias de resultados.

Sabe por quê?
Porque é um líder centralizador de todo o poder, não delega, exercendo sempre uma autoridade tirânica, muito exaustiva para a pessoa que lidera.

Para esse tipo de liderança não se valoriza a criatividade dos colaboradores, pois a hierarquia é rígida e definida acima de tudo, portanto, uma ordem deve ser obedecida sem nenhum tipo de questionamento.

Por isso, constata-se a queda na produtividade e alta rotatividade, afinal ninguém consegue trabalhar ao lado de um chefe, déspota que não abre espaço para o desenvolvimento pessoal e qualificação profissional, amputando o crescimento.

Com a dificuldade da retenção de talentos, que não é percebida pelo líder autoritário, porque menospreza e culpa os funcionários pela falta de desempenho da equipe.

Sem contar que o profissional com perfil autoritário, almeja a posição de liderança, quando conquista a sua zona de conforto, não se motiva em evoluir e se aperfeiçoar.

Na sua mente restrita, ele possui todo o conhecimento necessário para reproduzir suas atividades, ele se sente superior e o conhecimento que possui é – totalmente – necessário. Portanto, evolução tecnológica, novos processos são perda de tempo e usa a máxima “em time que está ganhando não se mexe.”

Ele não percebe que não está ganhando e que a melhor mexida começa na mudança interna.

Quando o líder percebe os pontos negativos desse tipo de liderança, existem possibilidades de mudar. Primeiro reconhece que essa liderança é um problema e impeditivo para o sucesso, porque a pessoa vive uma realidade insustentável.

É chegado o momento de procurar a ajuda de profissionais competentes, para localizar a ‘verdadeira causa’ desse comportamento, bem como os gatilhos que – ao serem acionados – promoveram esse quadro limitado. Nesse momento do processo, localiza-se os caminhos que serão percorridos até a mudança efetiva.

Se você está um líder autoritário, vamos conversar e construir uma Jornada de Autoconhecimento para você SER o seu MELHOR e – tenha certeza – de que não está alicerçado na autoridade impositiva.

Faz sentido para você EVOLUIR para VIVER a sua LIDERANÇA AUTÊNTICA?

Estamos JUNTOS nesta jornada.
Eu RE-conheço LIDERANÇA em você!🚀

Abraço Empático da Mel.

Equilíbrio

Semente Diária 11/10/2022

LÍDER:

Inteligência Emocional é o ingrediente primordial
para conduzir uma equipe e/ou empresa com eficiência.

As situações cotidianas de um líder podem se transformar em estressantes e repletas de conflitos, a inteligência emocional proporciona a avaliação dos fatos e a chegada a soluções eficazes e proativas.

Mel, mas como a inteligência emocional faz parte da liderança?

Na gestão de conflitos interpessoais e na resolução de situações delicadas, por exemplo, você pode utilizar dos 5 alicerces da Inteligência Emocional como a ferramenta transformadora.

1º Autoconsciência.
A consciência sobre si mesmo, proporciona a compreensão das emoções e o impacto das emoções no clima da equipe e da empresa;

2º Autorregulação.
A autoconsciência promove o domínio das emoções e a calibragem dos sentimentos, transformando reações em ações, minimizando as decisões equivocadas.

3º  Motivação.
Você conhece os seus motivos para caminhar até os resultados desejados, aos objetivos pré-estabelecidos, não só individuais – mas também os motivos dos colaboradores da equipe.

4º Empatia.
Quando você se flexibiliza para olhar a realidade pelo ângulo do outro, você não sofre a dor do outro, porém consegue ter uma percepção da dor e dos motivos para o sofrimento, para os discursos e posicionamento de cada membro da sua equipe.

5º Habilidades Sociais.
A capacidade de conviver em grupos, saber a hora de falar e escutar, o momento certo para se posicionar e o momento de calar, de recuar, de aceitar as determinações superiores.
Essa habilidade é o grande diferencial para a Gestão de Carreira, de Mudanças, pois refere-se à habilidade de se adequar, adequar a comunicação para que o melhor aconteça para si mesmo, para a equipe, para a empresa.

Qual dos alicerces da Inteligência Emocional você vai se dedicar hoje?

Estamos JUNTOS nesta jornada.
Eu RE-conheço LIDERANÇA em você!🚀

Abraço Inteligente da Mel.

Proatividade e Educação

Semente Diária 06/10/2022

Líder:

Proatividade é uma Competência que pode ser aprendida.

Há muito tempo tornou-se obsoleto o perfil de profissionais, para as posições de Liderança.

Escuto com certa frequência:

“Mel, meu CV é bom, minha formação acadêmica e experiência são reais e comprovadas, sei que eu podia exercer aquela função. Por que eu não fui selecionado[a]?”

Respondo de modo objetivo e direto: “Eu vou lhe apresentar algumas características que as empresas têm evitado nos processos seletivos.”

Querida Pessoa Líder, leia com atenção e veja – com sinceridade e humildade – se você possui no mínimo 3 delas.

Se sim, você já começa a ter uma ideia dos motivos pelos quais você está ficando fora do mundo corporativo.

“Eu já fiz todos os cursos e sei realizar as tarefas da minha área, para que fazer mais cursos?”

  1. Conformismo. Verifica-se naqueles CVs cristalizados, a pessoa não se ocupa com a atualização das técnicas e processos da sua área de conhecimento há mais de 1 ano.

“Eu sei… Eu conheço… Minha experiência diz muito…”

  1. Arrogância. Essa característica traz consigo a dificuldade de partilhar conhecimento, de escutar sugestões, trabalhar em equipe, bem como de dar feedbacks edificantes e – principalmente – não sabem ouvir e buscar melhorias, diante de uma crítica ou feedback de melhoria.

“Ah, eu sou movido a emoção! Não trabalho bem sob pressão!”

  1. Emotividade – Reatividade. Pessoas que oscilam muito o humor e possuem dificuldade de tomar decisões sob pressão, podem influenciar, inclusive numa postura imparcial, diante da equipe.

“Eu conheço tudo da minha área, só não gosto de falar em público,
apresentações para mais de 2 pessoas.”

  1. Timidez. É uma característica que vem acompanhada do medo de expor opiniões e estar errado; errar e receber críticas. Esse profissional acaba ficando engessado, sem iniciativas, algo que atrapalha o bom funcionamento da equipe.

“Eu falo e faço, decido logo, não consulto a equipe, porque eu sou o líder.
Depois penso nas outras possibilidades.”

  1. Impulsividade. É aquele profissional que reage, logo não pensa nas consequências que sua comunicação, decisão equivocadas podem gerar de conflitos na equipe, prejudicando o clima organizacional.

“Sou bem detalhista, gosto da perfeição,
posso demorar para entregar, mas quando eu entrego é perfeito.”

  1. Perfeccionismo. Apresenta dois lados: o lado claro da força é que seu trabalho tende a ser irrepreensível; já o lado escuro da força traz atrasos na entrega das tarefas, dificuldade de delegar, facilita de criticar os colegas de equipe e gerar muitos conflitos.

Você se identificou com 1, 2, 3 ou mais?
Aproveite este momento e AJA com PROATIVIDADE, busque ajuda para melhorar o seu perfil.

 

Estamos JUNTOS nesta jornada.
Eu RE-conheço LIDERANÇA em você!🚀

Abraço Proativo da Mel.

Didática

Semente Diária 29/09/2022

LÍDER:

Ensinar é compartilhar conhecimento e aprender com o aprendizado do outro.

É importante ressaltar a importância do papel do Líder para a sua equipe (família, empresa) como educador.

Ora, ensina-se pelo exemplo, pelo conhecimento, pela experiência.
Quando se aceita que não sabemos TUDO, que não estamos prontos, assumimos uma postura de Disponibilidade para aprender junto, ensinar o passo a passo.

Entretanto, existem muitas pessoas em posição de liderança que não líderes de fato.
Isso se evidencia na pressuposição de que o colaborador já sabe tudo sobre a tarefa ser realizada, ou não sabe nada.

Triste e interessante essa realidade, porque é exatamente assim que -muitos de nós – fomos educados.

Os pais falavam uma vez e queriam que nós aprendêssemos de prima.
Outras vezes, sentiam a necessidade de ficar repetindo, repetindo os mesmos ensinamentos, como se fôssemos desprovidos de inteligência.

Querida Pessoa Líder, entenda que o profissional que está no seu time, possui conhecimentos técnicos e perfil para integrar a empresa. Contudo, é importante ensiná-lo os processos de execução das tarefas, para que ele possa executá-las com maestria.

Esse ato didático precisa de acompanhamento por um período e você só tem a ganhar, porque ao ensinar tem a oportunidade de ter novas ideias de como facilitar os processos.

Basta que você se lembre: ao iniciarmos numa empresa, estamos muito tensos e queremos mostrar competência, isso pode gerar falsas interpretações de líderes desavisados.

Não se iluda!
Aprender todos os processos com maestria demanda tempo.
Sendo assim, exerça sua liderança acompanhando o[a] novato[a] em seus primeiros passos.

Agora, se você acaba de integrar uma equipe, é importante que anote todos os passos dos processos, todas as dicas – por mais simples que lhes possa parecer – elas são importantes, tanto que estão compartilhando com você.

Pergunte suas dúvidas, anote as respostas.
A princípio faça apenas suas tarefas como lhes foram ensinadas. Não tente inventar a roda.

Quando se sentir segura com o processo, conhecendo-o profundamente, pode sugerir pequenas ou grandes mudanças, desde que otimizem a execução do processo.

Faz sentido para você?

Estamos JUNTOS nesta jornada.
Eu RE-conheço LIDERANÇA em você!🚀

Abraço Fraterno da Mel.